Reciclagem

O fabrico de papel reciclado em Portugal já tem uma história secular. Inicialmente aproveitando os resíduos têxteis; posteriormente e até aos nossos dias, com a utilização de desperdícios de papel usado, que é recuperado e compactado após triagem.

 

Um dos grandes problemas ambientais nacionais do momento, os resíduos sólidos urbanos, tem vindo a ser minimizado e resolvido parcialmente, pela acção da indústria papeleira, reciclando uma parte muito significativa do papel consumido.
Esta recuperação de papel usado no nosso país é, tradicionalmente, equivalente à média europeia, aproximando-se dos 55% do total de papel consumido. No entanto, nos últimos anos, tem-se vindo a assistir a uma evolução menos favorável desta situação, em termos comparativos com os nossos parceiros europeus. Esta diferença deve-se a uma sensibilização mais rápida dos cidadãos desses países e de uma manutenção de capacidade instalada nacional de reciclagem, que não tem acompanhado o aumento do consumo.