Economia

O Sector da Pasta e do Papel é um sector Exportador Líquido

 

A actividade do Sector da Pasta e do Papel (SPP) contribui fortemente para o crescimento da economia portuguesa, uma vez que se trata de sector exportador líquido, ou seja, as exportações são mais elevadas do que as importações. Na realidade, em 2010 o sector apresentou uma taxa de cobertura das importações de 41%, contribuindo assim de forma muito positiva para a Balança de Pagamentos.

 

Segundo as Estatísticas do Comércio Internacional do INE, as pastas celulósicas e papel deram um contributo relevante para a subida global da saída de bens com +605,4 milhões de euros (taxa de variação anual de +40,7%), que determinaram a ascensão das pastas celulósicas e papel de 12º principal grupo de produtos em 2009 para 7º em 2010 (peso de 5,7%, +1 p.p. face a 2009).

 

Em termos mais desagregados, e ainda segundo o INE, o 2º maior crescimento anual em valor na globalidade dos produtos, registou-se na saída de papel e cartão, não revestidos, dos tipos utilizados para escrita, impressão ou outros fins gráficos (NC 4802), que originou a subida deste tipo de produtos de 13º principal produto em 2009 para 6º em 2010, com um peso de 2,2% (+1 p.p. face a 2009).

 

Os principais destinos das vendas da Pasta e do Papel são os países comunitários. Desta forma, os principais destinos da pasta nacional são a Espanha, Alemanha, Portugal, Itália e França e os principais consumidores do papel e cartão produzido em Portugal são a Espanha, Portugal, França, Alemanha, Itália e Reino Unido.

 

É notória a evolução positiva do saldo comercial das trocas de pastas celulósicas e papel, que correspondem ao 2º maior desagravamento observado em 2010, passando a ser o 3º grupo de produtos com maior saldo favorável a Portugal, totalizando 757,2 milhões de euros (+541,7 milhões de euros face a 2009), tendo ultrapassado a Madeira e cortiça e o Vestuário.

 

De forma mais desagregada, verifica-se que o papel e cartão, não revestidos, dos tipos utilizados para escrita, impressão ou outros fins gráficos (NC 4802) ascendeu à 4ª posição (saldo de 730,7 milhões de euros) em 2010 quanto ao balanço favorável para o nosso País.